sábado, 21 de novembro de 2015

Apago a luz?

A tempestade na rua faz apreciar o calor dos cobertores... Apenas o nariz de fora dos mesmos denúncia a presença de alguém neste espaço... E é tão bom o quentinho numa fria noite de inverno.... Falta sim... algo mais... o calor dos corpos em sintonia... as carícias de ambos a tentar colocar um ar de paz que combine com a respiração calma como o bater de um coração ao ritmo das ondas....Vou deixar a luz acesa hoje... vou esperar... vens?... Sim vem, invade os meus sonhos e leva-me para esse mar tranquilo que é amar-te... Diz-me quem és, revela-te e eu prometo que durmo de luz apagada, sentindo-me segura nesse teu abraço colossal...